quarta-feira, 6 de novembro de 2013

My Body, your Body - 20 mitos e verdades sobre exercícios físicos PARTE 2

    Oláaa. Na semana passada começamos falando de 10 mitos e verdades sobre exercícios físicos,  Aqui segue as próximas 10 verdades e mitos, vamos lá?

 Mito 11 – Praticar exercícios é garantia de perder peso: Assim como as pessoas reagem diferentemente ao mesmo treino, o ganho ou a perda de peso também está diretamente relacionado a fatores individuais, como a alimentação e a genética. As pessoas funcionam de maneiras diversas e isso significa que nós não perdemos a mesma quantidade de peso com um tipo específico de exercício. E é bem possível que uma pessoa seja ativa, mas esteja acima do peso ideal. No entanto, embora a prática exclusiva de exercícios não possa garantir que você vá alcançar o peso que deseja, fazer atividades regularmente é um dos fatores mais importantes para administrar bem o seu peso a longo prazo. Além disso, lembre-se de que uma alimentação balanceada também é fundamental para a boa forma. 

Mito 12 – Exercícios na água são exclusivos para idosos e pessoas com mobilidade reduzida: Pesquisas recentes nos mostram que as aulas ministradas na franquias água podem ser desafiadoras e muito efetivas para melhorar o condicionamento físico e auxiliar na perda de peso. Até mesmo os atletas profissionais contam com essas modalidades em seus treinos regulares. Por isso, não existe qualquer restrição de idade para as atividades na água. 

Mito 13 – Os benefícios que atividades como a Ioga e o Tai Chi trazem para a saúde do corpo e da mente são questionáveis: É fato que a medicina ocidental ainda está pesquisando e, por isso os estudos em torno dessas práticas continuam sendo realizados. No entanto, já sabemos que o Tai Chi, por exemplo, apresenta ótimos resultados no tratamento para dores nas costas e fibromialgia. Uma melhora na flexibilidade, equilíbrio, coordenação, postura, força e stress também são alguns dos benefícios que essas técnicas que aliam o corpo e a mente vêm apresentando.

 Mito 14 – Pessoas obesas não conseguem aproveitar os benefícios da prática de exercícios: Alguns estudos já mostraram que pessoas obesas que participam de programas de atividades físicas regulares têm riscos menores de mortalidade (de qualquer causa) do que os indivíduos sedentários, sem levar em consideração o peso. Tanto homens quanto mulheres de qualquer faixa etária e biotipo podem tirar proveito da prática de exercícios e viver com mais saúde.

 Mito 15 – Fazer exercícios é bom, mas treinar em uma academia é a melhor maneira de entrar em forma: Ao contrário do que muitos dizem, pesquisas apontaram que existe um grande número de pessoas que se adapta melhor a um plano de exercícios que possa ser feito em casa. Apesar dessa tendência que temos em achar que os aparelhos e o ambiente da academia são facilidades na hora de buscar a boa forma, o programa ideal para a perda de peso e o ganho de condicionamento físico é aquele ao qual você se adapta melhor e consegue participar regularmente.

 Mito 16 – Fazer musculação deixa as mulheres fortes: Boa parte das mulheres foge da musculação por achar que os exercícios vão deixá-las fortes, musculosas e, acima de tudo, másculas. Na verdade, o peso dos aparelhos não vai fazer nada no seu corpo além de melhorar sua flexibilidade. Mais uma vez, a genética entra em jogo: o fator que determina o aumento da massa muscular é a testosterona, que é produzida em quantidades muito pequenas no organismo feminino, dificultando o ganho de massa muscular. Mulheres que realmente desejam desenvolver seus músculos, como é o caso das fisiculturistas, precisam treinar pesado e ingerir quantidades astronômicas de calorias para conquistarem um corpo forte e musculoso. Para nós, a musculação é muito importante, pois ajuda a prevenir a osteoporose, já que nossa estrutura muscular e óssea é mais fraca e favorece o desenvolvimento da doença. 

Mito 17 – Correr é prejudicial para os joelhos: Muitos corredores praticam seu esporte regularmente, sem que isso signifique necessariamente um risco para seus joelhos. É importante procurar maneiras para minimizar os possíveis efeitos que o impacto da atividade possa causar a essa área do corpo, por isso procure correr em áreas planas e invista em roupas confortáveis e calçados que tenham bom amortecimento. Como em qualquer outra atividade, fique atenta aos sinais do seu corpo e respeite seus limites caso sinta dores e desconfortos durante ou depois de correr. 

Mito 18 – Praticar exercícios em jejum é a melhor maneira de perder peso: Se você não colocar nenhum tipo de combustível no seu organismo, seu rendimento na hora de fazer atividades será insuficiente. Se exercitar estando com o estômago vazio significa que sua energia acabará muito mais rápido e o seu desempenho diminuirá consideravelmente. Os especialistas recomendam a ingestão de uma fruta ou vitamina cerca de 1 hora antes dos exercícios para aumentar os níveis de energia do corpo e permitir que seus músculos possam trabalhar intensamente durante o treino.

 Mito 19 – O peso mostrado na balança é o principal indicador de saúde: Infelizmente, o ponteiro da balança acaba fazendo com que muitas pessoas desistam de manter a prática regular de exercícios. Principalmente entre os novatos, é muito comum que algumas pessoas consultem a balança diariamente e se sintam desestimuladas depois de notar que seu peso se mantém inalterado. No entanto, depois de alguns meses de exercício regular, nosso organismo começa se mostrar mais saudável devido à redução de fatores de risco, como a pressão arterial ou os níveis de açúcar no sangue, por exemplo. Mesmo sem perder peso, nossa saúde melhora em parâmetros que não podem ser medidos. Algumas pessoas têm em mente que um corpo saudável é necessariamente um corpo magro e se esquecem de que a saúde vai muito além da aparência física, assim não consegue ver os progressos que estão tendo.

 Mito 20 – O alongamento deve ser feito antes dos exercícios: Para algumas pessoas, o alongamento antes da musculação é praticamente sagrado. Acredita-se que eles previnam o risco de lesões durante o treino e ainda aqueçam os músculos para melhorar o desempenho. Porém, os pesquisadores não têm comprovações de que o alongamento antes dos exercícios seja realmente tão benéfico. Na verdade, os estudos que sondam a influência do alongamento nos exercícios nos mostram que eles causam uma redução muscular que afeta a nossa capacidade e prejudica a performance. Uma pesquisa realizada na Flórida (Estados Unidos) com alguns corredores mostrou que o alongamento antes da corrida diminuiu em 5% o rendimento dos atletas, o que significa que eles tiveram que fazer mais esforço e gastar mais energia para correr no mesmo ritmo. O mais recomendado é deixar o alongamento para ser feito depois das atividades físicas.


#Sigaadica. Beijiiinhos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário